quinta-feira, 7 de abril de 2016

Beleza Interior

Amor próprio x Ao próximo


Olaaaaaaaaa

  Hoje queria expor um pouquinho pra vocês sobre um assunto que vem martelando em minha cabeça há um tempo... Algo que eu gosto sempre de ressaltar e que todos nós já estamos cansados de escutar, mas nunca paramos pra pensar e realmente colocar em prática.
  Como o próprio título do Post diz, é sobre o amor, o amor próprio, o qual essa música ressalta bastante (tradução aqui), de uma maneira que devemos nos desapegar do outro, que podemos ser felizes sozinhos e nos aceitarmos como somos.
   A todo tempo, estamos sendo minados com pessoas nos dizendo isso, para nos colocarmos sempre em primeiro lugar, que não precisamos do outro para viver, para não ficarmos levando em consideração a opinião alheia e etc. Em parte não discordo desses dizeres, pois temos que nos amar sim, sabendo lidar com cada qualidade e defeito, e sempre buscando estar melhores aos olhos de Deus, e também não devemos depositar toda nossa dependência e auto estima no outro; que é totalmente vulnerável e suscetível ao erro.
   Mas o que me incomoda é: Até que ponto, ou, em que patamar colocamos esse amor próprio?
  Estamos sempre nos vangloriando de tudo? Estamos sempre colocando nossa vontade e bem estar acima de qualquer coisa? Achamos que somos melhores que os outros?
  Quando começamos a nos portar dessa maneira, que até contém um princípio de boa intenção, podemos acabar deslizando para o egoísmo/individualismo. Mas onde quero chegar? Com certeza é importante que tenhamos amor por nós mesmos, mas que isso  não seja maior que o amor pelo outro. 



     Até que ponto esse amor próprio te afeta? Deus nos deixou mandamentos para serem seguidos, e quando Jesus veio á Terra,  ressaltou os mais importantes.

"Aproximou-se dele um dos escribas que os tinha ouvido disputar, e sabendo que lhes tinha respondido bem, perguntou-lhe: Qual é o primeiro de todos os mandamentos?
E Jesus respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos é: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor.
Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento.
E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes." - Marcos 12:28-31

     Algumas pesquisas dizem que o número de cristãos no Brasil têm aumentado. Mas o que dizer sobre o aumento na violência e desigualdade também? E em diversos outros setores que se mostram cada vez mais injustos. Muitos fatores contribuem para que certas situações sejam agravadas, mas nós não podemos ficar confortáveis com isso. 
     Mais uma vez, não estou dizendo que devemos colocar o outro sempre acima de você, mas como Deus mandou, esse amor ao próximo deve seguir ao lado do amor que temos por nós, ou até mesmo pelas pessoas que a nossos olhos, são mais fáceis de amar, como nossa família e amigos. Porque o "próximo" não é somente aquele que esta perto de você, dentro do seu convívio, o próximo corresponde a todo aquele que você cruza na rua, mesmo sem conhecer, aquele que você nunca viu, mas que  também precisa do seu amor. Que nós possamos olhar o outro com o mesmo amor que olhamos no espelho.



     E diante disto, coloco mais um texto da Bíblia que nos mostra como é o real amor a ser sentido e transmitido:

"Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o sino que ressoa ou como o prato que retine.
Ainda que eu tenha o dom de profecia e saiba todos os mistérios e todo o conhecimento, e tenha uma fé capaz de mover montanhas, mas não tiver amor, nada serei.
Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado, mas não tiver amor, nada disso me valerá.
O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha.
Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor.
O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade.
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca perece; mas as profecias desaparecerão, as línguas cessarão, o conhecimento passará.
Pois em parte conhecemos e em parte profetizamos;
quando, porém, vier o que é perfeito, o que é imperfeito desaparecerá.
Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino.
Agora, pois, vemos apenas um reflexo obscuro, como em espelho; mas, então, veremos face a face. Agora conheço em parte; então, conhecerei plenamente, da mesma forma como sou plenamente conhecido.
Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor."
1 Coríntios 13:1-13

     Complementando ainda mais essa reflexão, mais uma música para que possam escutar e concluir o raciocínio desse post.


     E por mais clichê que seja essa frase, eu não a canso de dizer: MAIS AMOR POR FAVOR!

Beijos
Fiquem com Deus


Carola, Isabel Pucci

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...