segunda-feira, 21 de julho de 2014

Beleza Interior

E para a reflexão de hoje, vamos deixar a correria de lado, para lermos este texto publicado no site da Ultimato, que nos leva a pensar justamente sobre nossa vida cheia de urgências e cobranças.



O ser humano vive suas constantes indagações num mundo apressado, questionador e cheio de cobranças por resultados. Persiste o sentimento de que ainda falta alguma coisa. Continuamos correndo e seguindo pela estrada onde tudo se torna urgente. Mas onde estão nossas reais prioridades? Será que nos esquecemos do que realmente importa?

Há anos tenho buscado entender essa dinâmica e fazer o exercício de seguir pelo caminho que nos permite apreciar a paisagem, as pessoas, suas realidades, sentimentos, emoções, desejos e sonhos.

Quando era pequeno, eu viajava sentado no banco de trás do carro. Contrariando a ordem de dirigir alta velocidade, papai ia mais devagar para que eu pudesse contemplar toda beleza por trás daquela viagem.

A estrada impõe velocidade e não sobra tempo para a contemplação, a observação e o encontro. Quando não passamos em largo e decidimos realmente caminhar, somos surpreendidos pelo outro, o outro que por vezes está a espera de socorro.

Confesso que por vezes ainda me vejo pegando a estrada que me afasta, me fecha no pequeno espaço do “eu”. Me questiono se, ao escolher a estrada, eu não me distancio da minha humanidade e começo a perder a capacidade de sentir. Me volto apenas para as minhas próprias buscas e desejos numa corrida alucinante e desenfreada para  preencher algo dentro de mim que jamais conseguirei. A estrada pode ser o acesso mais rápido, mas com certeza corremos o risco de ir para lugares indesejados.

É tempo de rever o caminho e escolher a direção que nos conduzirá a um lugar seguro. Esse lugar não eliminará todos os meus questionamentos, mas me permitirá ter esse encontro com o real, com o que, de fato, importa e um melhor conhecimento do “eu” que vive em constante conflito interno.

Desligue-se da correria. Viva, contemple o céu, o mar, as flores. Chega de tantas cobranças, permita-se viver dias lindos e leves.

Por Jeverton "Magrão"


E então.. que tal desacelerarmos o nosso ritmo, para avaliarmos com calma qual o caminho queremos seguir, e apreciarmos cada passo desta caminhada?!

By Carola Isabel Pucci

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...